Arquivo do autor:umdiagenteaprende

Sobre umdiagenteaprende

Gosto de escrever. Recomendaram que eu fizesse um blog. Por que não fazer? Além de gostar de escrever, gosto de chocolate e batata frita =D

Wave – Tom Jobim | by Gabi e Rafa

Vídeo

O gatinho de pijama do Bidu é meu irmão e tentando cantar sou eu.

Criamos coragem e decidimos gravar nosso primeiro vídeo para postar na internet! A ideia é que continuemos a gravar mais músicas de variados gêneros.

Sugestões de músicas? agenteaprende a tocar! =)

Anúncios

Agenteaprende um pouquinho de arte

Padrão

Assisti a uma palestra ministrada por Raquel Matsushita que iniciou a empresa Entrelinha Design. Ela falou um pouquinho a respeito do livro que escreveu: Fundamentos Gráficos para um design consciente.

A designer apresentou também uma de suas clientes, a Editora Jujuba, que tem um conceito super bacana de levar arte para a literatura infantil. Afinal, por que as crianças não merecem livros com a mesma qualidade?  Vale muito a pena visitar o site, também feito pela Entrelinha.

http://www.jujubaeditora.com.br/br/

É interessante como, às vezes, sem querer despertamos curiosidade a respeito de temas mais segmentados. De repente minha percepção em relação a cores e formas aumentou. Nos últimos dias não só fui à palestra como também acabei fazendo um curso de designer gráfico no Senac. Agora, quando pego um flyer ou cartão na mão gasto muito mais tempo analisando a arte. Sei que num bom trabalho todas as fontes e detalhes mínimos foram pensados e escolhidos com cuidado.

As Maravilhas do Inverno

Padrão

Eu particularmente acho que tudo fica muito mais fino e elegante no frio. Inclusive as pessoas.

Ok ok! Nem tanto! Às vezes temos vontade apenas de nos encolher no sofá.

Na verdade, o segredo do charme do inverno está nos detalhes. Na graça do cachecol. Na xícara do capuccino artesanal. Na caneca bonita do chocolate quente com chantily. A gastronomia, aliás, é uma das formas da arte que mais expressa o prazer, não de sentir frio, mas de aproveitá-lo das melhores maneiras. Nada como um jantar romântico acompanhado por morangos e  fondue de chocolate.

A moda não fica atrás. Os diferentes estilos e a criatividade vão longe no inverno. A estilista francesa Mary Beyer, por exemplo, traz à memória, em sua coleção, a época em que as luvas eram peça fundamental no traje feminino. Seus modelos, nas fotos abaixo, são chiques e diferenciados.

Engana-se quem pensa que a moda é lançada apenas nos estúdios dos grandes designers. É a moda de rua que traz muitas das novidades, principalmente os jovens que costumam cortar e criar suas próprias roupas. Por isso, aproveite o clima para inovar! Use seu próprio guarda-roupa para fazer as mais malucas combinações.

O frio não é motivo para não se divertir! Seja onde for, aproveite para curtir bastante o inverno 2011! Exiba seu estilo nas ruas, convide os amigos para jantar ou assista a um bom filme.

Dica: para conhecer as melhores opções de onde curtir o friozinho, consulte o Guidu: http://bit.ly/jf9i6k

Reclama das aulas de Matemática? Das aulas de Português?

Padrão

Os das áreas de Humanas detestam a física. Os das áreas de Exatas detestam a Ortografia. Porém, poderia ser pior! Muito pior! Já existiram, no Brasil, as matérias mais inusitadas e absurdas possíveis!

Uma volta ao passado:

1827-1879 – O currículo começou a ter matérias como as da atualidade, mas para as meninas apenas ler, escrever, fazer continhas básicas e aulas de bordado e outras prendas domésticas.

1879-1890 – Os meninos não ficaram de fora. Para eles, aulas de noções de lavoura, horticultura e marcenaria. Para as meninas, costura e economia doméstica. Dá para perceber que o Estatuto da Criança e do Adolescente só foi instituído nos anos 1990. rs

1946-1986 – As meninas chegaram a ter aulas de puericultura, nas quais aprendiam a cuidar de bebês.

Umdiagenteaprende que por mais que não seja tão legal para alguns, é importante, por exemplo, a mulher, na atualidade, ter o direito de estudar Física.

Fonte online: http://mundoestranho.abril.com.br/historia/materias-ja-foram-obrigatorias-escolas-brasileiras-431959.shtml

Vik Muniz transforma lixo em arte

Padrão

Não é qualquer um que consegue enxergar arte onde há lixo. Vik Muniz conseguiu tornar fonte de sua criação artística aquilo que a maioria das pessoas apenas via como o maior aterro sanitário da América Latina.

Foi em 2008 quando o artista plástico conversou pela primeira vez com o presidente da Associação dos Catadores do Aterro Sanitário de Jardim Gramacho, Sebastião Carlos dos Santos, e propôs utilizar os dejetos para sua obra. Explicou também que contaria com a ajuda dos catadores e filmaria tudo para o documentário “Lixo Extraordinário”. O filme estreia nesta sexta, dia 21 de janeiro, nas salas de cinema.

Veja o trailer:

Além da idéia genial, Muniz voltou o olhar da sociedade para quem faz parte do processo de reciclagem: os catadores de lixo que precisam de uma melhora em sua qualidade de vida. É com pessoas brilhantes que umdiagenteaprende a parar e ver o que ninguém percebe. Aliás, você separa o que é possível reciclar? Em seu bairro, há algum programa de coleta?

Texto criado por  Gabriela Angerami.

Retrospectiva bacana: Google Maps causando!

Padrão

Me deparei com uma Superinteressante do ano passado e li algo sobre o qual nunca havia pensado: o poder do Google Maps, ou melhor, o poder absurdo da sagrada internet em outro viés!

A revista descreveu que em agosto passado Arunachal Pradesh, estado da Índia, apareceu no Google como território da China. Coincidentemente, na semana de uma discussão diplomática entre os países citados sobre a posse do território. Enfim, os indianos protestaram bastante e acusaram a empresa de tomar partido a favor dos chineses.

Essa foi apenas uma das gafes, entre outras. Houve também Camboja x Tailândia, Sudão x Etiópia, Árabes x Google e Israel x Palestinos.

Fácil assim: em pouquíssimo tempo a Google “resolve” problemas territoriais centenários. Toda a fragilidade de um conflito étnico simplificada e toda a diplomacia praticamente descartada!

Nesse caso, a experiência não foi muito legal, mas será que umdiagenteaprende até onde vai o poder da internet?

Texto criado por Gabriela Angerami.

Fonte online:

http://super.abril.com.br/tecnologia/guerra-vai-ao-google-maps-598661.shtml